sábado, 21 de agosto de 2010

Sobre o tempo

Suponhamos que um sábado de sol amanheça depois de uma sexta-feira qualquer... "Tá aí, meu bem, se liga. É a prova cabal de que não há bem que nunca se acabe nem mal que nunca termine" ... e acreditemos de coração e vísceras que tudo é como deve ser. Seja por conta da dor na cabeça, do sono, de fragmentos, de lembranças, da água benta da avó, do encontro com o esperado ou o inesperado. Acreditemos, com convicção, que a vida que levamos é o melhor dos caminhos, sempre.



(...) Hoje acordei sem lembrar se vivi ou se sonhei. Você, aqui, nesse lugar que eu ainda não deixei. Vou ficar? ... Quanto tempo? ... Vou esperar? E eu não sei o que vou fazer, não... Nem precisei revelar: Sua foto não tirei. Como tirei pra dançar alguém que avistei. Tempo atrás... Esse tempo, está lá trás. E eu não tenho mais o que fazer, não... Skank

Nenhum comentário: