domingo, 14 de novembro de 2010

Surpresa canina!

Há uma semana, chegou sem avisar. Jamais esperei que permanecesse em minha vida. Permaneceu. Roubou todo tempo, todas as horas de pensamentos nesses sete dias. Se instalou. Tão jovem, tão cheio de manha, tão seguro de si. Quis atenção. Nunca tive muito pra perder. Éramos a combinação ideal de desapego. Tem me arrancado suspiros, curado carências e correspondido às expectativas. E me olha no fundo dos olhos, e seus sons me parecem sempre perfeitos. Coisa boa dar oportunidade pra uma emoção acontecer sem saber onde é que ela vai desaguar. Sem coleiras, sem amarras, sem compromisso. Apenas a liberdade de se querer perto - na medida certa e sabe-se lá até quando. Esteve livre pra chegar, estará livre pra partir. Não me queixo de lhe dar um nome próprio, um pouco da minha loucura e algumas horas das minhas madrugadas. Não me importo de me atrever e ousar pra depois desistir ou me enfadar, ou começar a me apaixonar. Nenhum tempo é perdido com algo que arrisca, que pulsa, que vibra, que vive e que faz viver. Adoro o que me tira do sério e do tédio, porque minha versão mais apaixonada nasce apenas nos desafios. Provoque! Provoque minhas reações mais adoráveis, o que houver de melhor em mim. E então me converto em um ser pequeno, doce, disponível, que não hesitará em se compartilhar contigo.

Agradecimento à Thay, detentora dos direitos autorais do Marley:
Personagem perfeito para minha analogia/metáfora.



Backbeat, the word was on the street
That the fire in your heart is out
I'm sure you've heard it all before
But you never really had a doubt
I don't believe that anybody
Feels the way I do about you now
And all the roads we have to walk are winding
And all the lights that lead us there are blinding
There are many things that I would like to say to you
But I don't know how...
Oasis

Nenhum comentário: