segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Não por acaso inConstânCia tem Cês em dobro.

Quando tento me equilibrar, formando o que chamam de personalidade, caio repetidamente. Produzo machucados e sigo ziguezagueando entre os baixos, médios e altos. (humores!) E falo tanto, e falo sempre, e desejo calar tantas vezes. Eis a minha especialidade: Completar com palavras os espaços das dúvidas que os sentimentos me trazem. Sou quase comum, não fosse por ser tão efusiva: Abuso dos nuncas, dos porquês e dos para sempres. E me permito. Ainda que o que ontem fora nunca hoje possa ser sempre, que o para sempre torne-se efêmero e que o porquê não passe de uma pergunta ressonando distante. Eu sou de lua porque gosto dela, embora acredite que ela muda muito pouco comparada a mim...