quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Sobre voltar ao blog, sentir saudades e andar de ônibus às quartas.

Herdei um certo quê de cinismo do primeiro quase-amor que perdi. E algumas vezes é ele, o cinismo, quem me motiva a escrever, ou pelo menos ter vontade. Com ele também me tornei muito mais crítica, o que foi uma pena... Porque eu adorava saber ser doce ainda que com a mais ignorante das criaturas. Há saudades guardadas de algumas épocas da minha vida. Guardadas sem nostalgia. Contudo, se detivesse o poder de voltar ao passado mas não de alterá-lo, o faria? Foi o que pensei hoje, olhando o mundo através da minha janela do ônibus. Aquele. De todas as segundas, quartas e sextas... Pensei também que detesto que me invadam. A intimidade faz com que as pessoas fiquem absurdamente irritantes e isso me incomoda a tal ponto que o caso torna-se, no mínimo, indisfarçável. O que lamento é que eu quem dou essa condição às pessoas: Sou efusiva, inteira e falante, o que as sugere que sou fácil de conhecer. Elas estão certas.



O fato é: Nutro um sentimento curioso e não-nominado por quem arranca de mim a discrição ou lança mão da intimidade por mim concedida como quem nada quer.



Será mesmo, Pitty ? Que só trememos por nós mesmos e por aqueles que amamos?

Um comentário:

Jamile Cristina disse...

Volta, volta. Eu gosto (e preciso) ler coisas assim. Mesmo 'sabendo' quase tudo que você pensa e sente. Te adoro e te acho foda! hahaha :* muuuuuuuuah minha pequena.