terça-feira, 20 de setembro de 2011

Pois é

"Pois é, não deu. Deixa assim como está, sereno
Pois é de Deus tudo aquilo que não se pode ver...
E ao amanhã a gente não diz
E ao coração, que teima em bater,
avisa que é de se entregar no viver.

Pois é
Até onde o destino não previu
Sei, mas atrás vou até onde eu conseguir
Deixa o amanhã e a gente sorri...
Que o coração já quer descansar.
Clareia minha vida, amor, no olhar..."

(Los Hermanos)

domingo, 18 de setembro de 2011

Principalmente

Estava prestes a citar Caio Fernando outra vez, quando ele diz: "Queria tanto que alguém me amasse por alguma coisa que eu escrevi"... Mas lembrei que emprestar as palavras dos outros nem sempre tem o mesmo efeito do que escrever. Principalmente em se tratando de querer que nos amem por isso.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Morro

"- Você morre de medo de perder alguém importante. Então, larga a pessoa que mais importa pra você...
- Não estou morrendo de medo, estou seguindo em frente...
- Por que ninguém pode tirar de você o que você não tem mais".

(House, quinta temporada, quarto episódio. Copiado do Vem cá Luísa)

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

A doença

“(…) Há meses reflito sobre a doença de refletir demasiadamente e estabeleci com toda a certeza a correlação entre a minha infelicidade e a incontinência da minha razão. (…) Eu não consigo deter meu cérebro, diminuir o seu ritmo. Sinto-me como uma locomotiva, uma velha locomotiva que se precipita nos trilhos e que não poderá jamais parar, porque o combustível que lhe dá a sua potência vertiginosa, o seu carvão, é o mundo. Tudo o que vejo, sinto, escuto, se engolfa no forno do meu espírito e o impele e faz funcionar a pleno vapor. (…)”

(Martin Page)

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Talvez




“Talvez Clarice estivesse certa: ler é, provavelmente, a maneira mais intensa de escrever.”

(José Castello)