quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Três lados

Escutei alguém abrir os portões.
Encontrei, no coração, multidões...
Meu desejo e meu destino brigaram como irmãos!
E amanhã semeará outros grãos...
Você estava longe, então por que voltou?
Seus olhos de verão... que não vão entender.
Cada um terá razões ou arpões
Dediquei-me às suas contradições, fissões, confusões!
Meu desejo, seu bom senso: raivosos feito cães.
(...) Somos dois contra a parede
E tudo tem três lados...
E a noite arremessará outros dados!
Os deuses vendem quando dão,
Melhor saber.
Seus olhos de verão...
Que não vão nem lembrar.
E quanto a mim, te quero sim!
Vem dizer que você não sabe...
E quanto a mim, não é o fim.
Nem há razão pra que um dia acabe...


Skank

2 comentários:

Anônimo disse...

E quanto a mim, te quero sim!
Vem dizer que você não sabe...
;)

Sou C! disse...

Ah, o anonimato...