terça-feira, 30 de novembro de 2010

À trois

(...)
- Tu já me contou. Aqui, né?
*aponta pro canto da boca*
- Não, mais pro lado...
*risos incontroláveis*
- Sério?
- É, mas acho que foi sem querer (...)
*olhares cruzados dos outros dois*
- Nãooooo, sua boba! Não se faça de ingênua!
- É, essa técnica é velha!
*risadas demoradas*
- Sinceramente... Acho que tem gente que nem desconfia o tamanho da nossa...
- Parceria?
- Eu ia dizer comunicação, mas acho parceria até mais adequado (...)
*risadas triplas*
- Sabe de uma coisa?
- Hm...
- Não vou ser advogado, nem juiz, nem p### nenhuma, vou é (...)
*risadas altas*



O calor que os dias do fim de Novembro fazem seriam capaz de deixar qualquer cristão de mau humor. Eis que surgem dois dos meus tantos anjos da guarda, provocando sorrisos que nascem no fígado e percorrem os pulmões.
Luis, Fran e eu portamos uma sincronia literalmente sem par. Uma capacidade imensa de darmos risada das nossas próprias piadas. E das nossas vidas... Que são três aventuras, hilariantes como poucas. Compartilhamos segredos que nem são tão segredos assim - e, vez ou outra, até sem querer, compartilhamos mais que isso. Mas há o principal: Nos entendemos de uma forma que poucos são capazes de fazer.
Sinceramente, não sei muito claro quais as características abstratas que me fazem crer que uma amizade é sincera. Talvez, de notável, precise haver confiança, que comumente chamamos de parceria. Talvez precise haver sinceridade. Talvez precise haver disposição a fazer o outro sorrir. Seja o que for, os dois possuem. E não hesitam em utilizar, em todas as noites, em sextas de festa e, especialmente, em segundas tediosas.

2 comentários:

Luis disse...

Um dos meus maiores incomodos no começo da faculdade, seria de encontrar pessoas que valessem a pena.
Não tenho dúvida de que vocês duas já ocupam um espaço importante na minha vida, e meu coração!
Amo muito!

Anônimo disse...

Ficar cinco anos na faculdade sempre me pareceu maçante e cansativo.
Entretanto, nesse primeiro ano, pessoas incríveis me fizeram mudar de ideia e ver que os próximos quatro anos passarão rápido demais e que haverá saudade desigual de todos e de tudo.

Eu amo vocês dois!! Sei que posso compartilhar diversas coisas com vocês e por pior que seja a sinceridade e a lealdade sempre prevalecerá!

Frããn,