quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Faz de conta

Era claro... Espelho d'água. Perfeição que a pedra destruiu!
Uma onda; Mais uma onda... Outras ondas e já não tem fim.
Agora é centro... Do movimento. A qualquer momento pode transbordar!
Quando a pedra caiu na água, quando o espelho foi ao chão...
Quem estava ao teu lado? Quem estava com a razão?
A pedra afundou, a onda inundou
(...)
Malas prontas. De hoje em diante mais distante talvez, menos mal
Desencanto na garganta... Faz de conta que eu fui mais legal.

Humberto Gessinger | Melissa Mattos

Nenhum comentário: