quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Carpe Diem, Luis!

Nunca sonhei com a maioridade, mas agora me vejo pensando em como deve se sentir alguém que chega aos 18 anos... Será que nada muda? Será que o aniversariante cai imediatamente em si das responsabilidades da vida adulta? Será que isso só acontece com o tempo? Torço para que essas transformações gigantes me sejam amenas ou indolores.
Enfim... A reflexão nasceu do aniversário do Luis, hoje, que é uma das pessoas mais atenciosas das quais tenho conhecimento. Lembro também da Jô, me mostrando as fotinhos antes de conhecê-lo pessoalmente e de eu ficar pensando: Esse cara é insano! Estava certa nos pensamentos, na melhor acepção do termo. Luis é um menino crescido quando se trata de sentimentos, e um homem quando se trata de responsabilidade. Aliás, também escolhe time de futebol muito bem, mas essa virtude é só um adendo na sua imensa lista de virtudes. Sempre desvia os olhos quando está de lado falando comigo, e é incrível como isso não me transmite uma sensação de displicência, mas sim de que ele está levando em conta o que eu digo, está internalizando e processando bem as informações pra me dar uma resposta útil e sincera.
Aprendi a jogar boliche junto com o Luis (aliás, um ótimo professor!), mas, mais que isso, aprendi a empregar corretamente o uso da palavra "meio" (risos) e a ingerir pastéis assados "que por mais gordurosos que sejam, ainda têm menos caloria que os fritos". Ele é um cara que não se deixa vencer pelas decepções ou traumas, entretanto se esforça seriamente para a prevenção, para que as coisas ruins não aconteçam, ou, ao menos, é assim que eu o vejo...
São alguns meses de amizade e uma tonelada de papéis de bilhete, com horas de conversa no msn! Não sei mensurar a alegria que é poder contar meus segredos, planos e anseios pra alguém que me entende, que me aconselha e que põe a opinião masculina pra funcionar na minha vida e nas minhas escolhas mais importantes... Obrigada por ter se tornado tão confiável, equiparando-se com alguns amigos que construí ao longo da vida toda! Obrigada por levantar meu astraaaaaal, por sempre provocar meu bom humor, e por me aturar quando a "Claudia carniça" ataca (como nos últimos dias...)
O que sou capaz de desejá-lo hoje não é o clássico "muitos anos de vida", ou o clichê "parabéns", apesar de achar que você merece isso mesmo: felicitações e o melhor, sempre! Mas preciso lhe dizer, por oportuno, que espero que a sensibilidade nunca se acomode, que os sorrisos daqui pra frente sejam vindos naturalmente e, sobretudo, desejar que os seus desejos e ambições estejam sempre dentro do limite do realizável, pra você nunca se frustrar - mas que esses mesmos limites variem, mudem, sejam maleáveis, de acordo com o que mandar a aliança entre coração e consciência... Sempre com um objetivo nobre, que, tenho certeza, você possui: SER FELIZ!

Carpe Diem, amigo! Com todas as suas melhores expectativas para o futuro... Aproveite o dia! Este, e todos os tantos outros que virão nessa recente "vida adulta"!
Que a sorte seja sempre amiga do teu imenso talento.
Feliz aniversário! Conte comigo.

2 comentários:

Francisco de Assis disse...

Silvio Santos diria:
em ritmo de festa!
nesta
data querida.
Muitas felicidades
muitos anos de
poesia.

Luis Fronza disse...

não tenha dúvida que foi a homenagem mais bonita que já recebi em um aniversário!
muito obrigado, gata garota, eu gosto muito mesmo de você!
parabéns pelas palavras, mais uma vez, ooh yeah!
(l) /hugs