sexta-feira, 7 de maio de 2010

Mas, será que ainda é cedo?

Uma menina me ensinou quase tudo que eu sei
Era quase escravidão,
mas ela me tratava como um rei.
Ela fazia muitos planos
Eu só queria estar ali, sempre ao lado dela
Eu não tinha aonde ir
Mas, egoísta que eu sou,
me esqueci de ajudar a ela como ela me ajudou.
(...)
Ela também estava perdida
E por isso se agarrava a mim também,
e eu me agarrava a ela...
Porque eu não tinha mais ninguém.
E eu dizia:
- Ainda é cedo, cedo, cedo, cedo, cedo.
Sei que ela terminou o que eu não comecei
E o que ela descobriu eu aprendi também, eu sei
Ela falou:
- Você tem medo!
Aí eu disse:
- Quem tem medo é você!
Falamos o que não devia
Nunca ser dito por ninguém
Ela me disse:
- Eu não sei mais o que eu sinto por você.
Vamos dar um tempo, um dia a gente se vê.
E eu dizia:
- Ainda é cedo, cedo, cedo, cedo, cedo.
Ico-Ouro Preto, Dado Villa-Lobos, Renato Russo, Marcelo Bonfá

2 comentários:

Anônimo disse...

Nem todas as frases de uma vida ultimam com ponto final...

bíah disse...

comentários anônimos poéticos! :x