terça-feira, 4 de maio de 2010

Diário de bordo

O primeiro dia de estágio. Perdoem-me, eu precisava contar para alguém... Mesmo com dezenas de desejos de boa sorte, de vai dar tudo certo, de todo mundo é gente fina lá... Era desconfortável estar ali. De moletom. De cabelo ruim. De cara recém-lavada. Ao mesmo tempo era gratificante. Eu havia chegado com um pouco de antecedência, fui procurando quem tinham me aconselhado. Subi as escadas, desci. Subi de novo porque era o lugar certo. Encontrei uma agradável senhora de meia-idade pronta pra me apresentar... Pro chefe! O quê? Pânico. Meu cabelo tava ruim, o batom não era o certo... E tá certo também que ele nem é o meu chefe, mas enfim. Fomos apresentados. A sutileza em pessoa. Não havia do quê me preocupar. Uma voz terna, uma fala mansa... Até esqueci do cabelo ruim. Descemos. Fui apresentada às minhas colegas... Não. Ironia dizer que elas são minhas colegas. Eu sou a novata, eu sou a colega. E tudo transcorreu bem. Eu bem notei que se impressionaram comigo. Mas vá lá, que isso é pura falta de modéstia. Chega um, chega outro. Um conhecido aqui, um completo desconhecido ali. De doutor de gravatinha a pedinte de "vim pra protocolizar esse papel que o adevogado pediu."
E foi aí que eu notei que podia ser mais agradável e divertido do que me parecia no início. É tempo de mudança de foco e, perdoem-me, eu precisava contar para alguém... Que estou muito contente e senhorinha de mim, indo para o "trabalhinho" na minha área, (e eu enchia a boca pra dizer que eu tinha uma área agora) tendo "compromissinhos" mais, digamos, sérios do que eu tive um dia.
Era bom estar em um lugar onde havia mil planos para seguir, mil metas para cumprir, mil pessoas para atender, mil papéis para organizar, cadastrar, distribuir... Eu gostava das normas, embora relutasse em admitir. E o saldo final era de que foi positivo o meu primeiro dia. Muito positivo. Mega positivo.
Categoria: Aventura

Um comentário:

Anônimo disse...

imagine o tamanho do meu sorriso. e é sincero. isso deveria se tornar, feito as palvras de hipócrates, viraram para os médicos, o juramento dos "estágios na área"... e as pessoas chegariam nos seus primeiros-dias de estágio, ergueriam suas mãos na direção de algum quadro de presidente, governador, ministro, ou qualquer um com gravata na moldura e começariam a ler o seu diário de bordo. e eu sorriria todoas as vezes...