segunda-feira, 26 de abril de 2010

Enquanto o mundo gira

Pense bem, enquanto o mundo gira...
E no passar das horas.
Tanta beleza em tua vida
E tu não reparas!
Rompe as grades da tua mente, pra reconhecer
Novo oriente...
Ou simplesmente
Nova viagem transcendental
Nem tudo está acabado.
Quase tudo ainda está pela frente...
Às vezes se vê, mas não sente
Às vezes se tem, mas não vê
Os caminhos do dub e da alma
Lhe abrem portais e fronteiras
E vão te colocar em outra dimensão.
Hão de se abrir em luzes...

Ouça: Eu vim aqui porque eu preciso compartilhar do teu sorriso. Aproveitar o tempo de viver...



Cidade Negra

Um comentário:

Anônimo disse...

O mundo tem perspectivas estranhas: gira para todos sem parar, sem lados ou esquinas...mas da minha perspectiva tímida e sem gesto, para cada lugar que eu olhe vejo um mesmo Centro: intenso, nada monótono, talvez fragmentado - incomum na efusividade. E eu me permitiria me perder nesse Centro, mesmo com os nuncas ou sem saber os porquês... pois só existiriam os para sempres naquele instante eterno onde o meu lugar na história seria muito menos importante do que aquilo que eu sinto.
Mas sou tão anônimo.